13/09/2019

Sindicato alerta população em ato público sobre os riscos do saque do FGTS



Para alertar a população sobre os riscos do saque imediato e o de aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), empregados da Caixa e dirigentes do Sindicato dos Bancários de Pernambuco realizaram uma ato em frente à agência da Caixa – Conde da Boa Vista, nesta sexta-feira (13), no intuito de mostrar os impactos sociais do esvaziamento do maior Fundo de investimentos públicos do Brasil.

Além de ser um seguro para o trabalhador no caso de demissão, o FGTS favorece justamente a população de mais baixa renda. Em 2018, o fundo operado pela Caixa destinou R$ 55,1 bilhões para a habitação; R$ 496,1 milhões para obras de infraestrutura; e R$ 2,7 bilhões para obras de saneamento. Quanto aos pagamentos, apenas em 2018 a Caixa repassou R$ 107,5 bilhões aos trabalhadores brasileiros por meio do FGTS.

Para diretora do Sindicato e empregada da Caixa, Susana Morais, a população vai sofrer com mais este desmonte dos bancos públicos, deixando o FGTS fragilizado. “Programas sociais como o Minha Casa Minha Vida e o Bolsa Família vão sentir as consequências desses saques, tudo porque o montante final pós esvaziamento do FGTS deixará fragilizado um dos maiores sistemas de investimentos destinados à população. Mais uma vez, o governo Bolsonaro está exercendo seu poder para atacar a classe trabalhadora. É importante que a população procure informações, principalmente sobre o saque aniversário que prejudicará o trabalhador no momento da demissão”, destaca Susana.



Com faixa, panfleto informativo e carro de som, dirigentes do Sindicato fizeram falas em defesa da classe trabalhadora, denunciando à população os ataques que o banco vem enfrentando. O ato também acontece na data do aniversário de 53 anos do FGTS e quando inicia o período de saques imediatos do Fundo de até R$ 500 .

 O FGTS já foi gerido pelos bancos privados até 1990. Hoje, administrado pela Caixa, este fundo de investimento voltou a sofrer vários assédios dos bancos privados, interessados em lucrar com os R$ 413,8 bilhões de saldo em conta. Quando nos cofres desses bancos, o dinheiro do trabalhador ficava depositado de forma pulverizada, o que resultou em diversos casos de má gestão dos recursos, acarretando em prejuízos para o fundo e para o governo.

O secretário de Administração do Sindicato, Geraldo Times, destaca os impactos para a vida do trabalhador no caso do saque do FGTS. “A classe trabalhadora só tem a perder no caso da adesão dos saques do FGTS. Sacando o valor imediato liberado pela Caixa, acontece um enfraquecimento deste Fundo, retirando o poder de investimento em benefício da população. No caso de aderir ao saque aniversário, disponível a partir de 2020, o saldo total do FGTS não poderá ser retirado pelo demitido sem justa causa, fazendo com que tenha acesso apenas à multa de 40%. Isso é mais um ataque aos direitos da população”, comenta Geraldo Times.

Compartilhe no
Notícias relacionadas...

Outras notícias...

Expediente:
Presidenta: Suzineide Rodrigues • Secretário de Comunicação: Epaminondas Neto • Conselho Editorial: Suzineide Rodrigues, Epaminondas Neto, Josenildo Santos, Beatriz Albuquerque e Expedito Solaney • Jornalista Responsável: Beatriz Albuquerque  Redação: Beatriz Albuquerque e Brunno Porto • Produção de audiovisual: Kevin Miguel •  Programação Visual: Bruno Lombardi