09/01/2019

PE registra 190 ocorrências violentas contra bancos em 2018



Em Pernambuco ocorreram 190 investidas violentas contra bancos e uma elevação de mais de 100% do número de arrombamentos nas agências. Esses são alguns dados do Mapa da Violência Bancária 2018 apresentado pelo Sindicato dos Bancários de Pernambuco durante coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje (9) na sede da entidade.


Conforme o levantamento, a Região Agreste é a que registra o maior número de casos, com 81 ocorrências; seguida pela Região Metropolitana do Recife, com 41. Essa modalidade de crime atinge 52,97% dos municípios pernambucanos, sendo a cidade do Recife a mais atingida, com 20 notificações; acompanhada por Caruaru, com 10.


“A comparação dos dados de investidas bancárias entre os anos de 2017 e 2018 demonstram a ineficiência da política de segurança do Governo de Pernambuco em relação à violência bancária, já que os números permanecem quase que inalterados com pequena piora, com elevação de 190 casos (2018) e 185 (2017), ou seja, 5 ocorrências a mais, somando o percentual de 3% de um ano para o outro”, avalia a presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues.




Para o secretário de Assuntos Jurídicos, João Rufino, o governo de Pernambuco não aceita as críticas e contribuições da sociedade. “Esperamos que o fracasso da política de segurança durante quatro anos de gestão Paulo Câmara faça o governo repensar sua postura autossuficiente e umbiguista e que estabeleça urgentemente o diálogo com as pessoas e entidades que querem e podem contribuir com a gestão para que o povo pernambucano tenha um pouco mais segurança”, critica.


Entre as propostas apresentadas pelo Sindicato para a Secretaria de Defesa Social (SDS), destacam-se o restabelecimento e ampliação do Grupo de Trabalho (GT) de Enfrentamento da Violência Bancária em PE; aumento do efetivo de policiais nas cidades do interior, garantindo assim mais segurança para as populações locais nas regiões de maior incidência de casos; e integração da inteligência e compartilhamento de dados entre as polícias, secretarias da área de segurança e justiça e poder judiciário, com uniformidade de levantamento de dados e informações à disposição das polícias federal e estadual.


Para os bancos, as principais proposições são abertura remota as agências por empresa de vigilância; redução de numerário de valores mais altos (notas de R$50,00 e de R$100,00) após o fechamento da agência, recolhendo essas notas para o cofre e deixando apenas cédulas de menor valor que tornam a investida improvável; e isenção de cobrança de tarifa em transferências incentivando assim os clientes a optar pela transferência eletrônica (TED/DOC) em vez de transitar com numerário (dinheiro vivo).


Confira os dados na íntegra:


O NÚMERO DE INVESTIDAS CRESCEU EM RELAÇÃO AOS ANOS ANTERIORES


Números absolutos


2018

190 ocorrências

2017

185 ocorrências


Percentual


Cresceu 3% o número de ocorrências



ESTATÍSTICAS EM RELAÇÃO AOS TIPOS DE INVESTIDAS CRIMINOSAS


Números absolutos



ARROMBAMENTO

ASSALTO

ESTELIONATO

EXPLOSÃO

SEQUESTRO

INVASÃO

2018

43

48

25

65

7

2

2017

29

68

0

83

4

1


Percentuais


ARROMBAMENTO

ASSALTO

ESTELIONATO

EXPLOSÃO

SEQUESTRO

INVASÃO

+ 48,27%

- 29,42%

Em 2017 não foram

catalogados pelo Sindicato

- 21,69%

+ 75%

+ 100%



ESTATÍSTICAS EM RELAÇÃO AS INCIDÊNCIAS POR REGIÃO


Números absolutos



SERTÃO

AGRESTE

MATA

RMR

2018

40

81

28

41

2017

39

59

24

63


Números percentuais


SERTÃO

AGRESTE

MATA

RMR

+ 2,56%

+ 37,28%

+ 16,66%

- 34,93%


Compartilhe no
Notícias relacionadas...

Outras notícias...

Expediente:
Presidenta: Suzineide Rodrigues • Secretário de Comunicação: Epaminondas Neto • Conselho Editorial: Suzineide Rodrigues, Epaminondas Neto e Adeílton Filho • Jornalista Responsável: Micheline Américo  Redação: Beatriz Albuquerque e Brunno Porto • Coordenação, Supervisão e Produção de audiovisual: Tempus Comunicação •  Programação Visual: Bruno Lombardi