05/10/2018

Financiários aprovam por unanimidade proposta da Fenacrefi



Os financiários da BV Financeira e da Financeira Alfa aprovaram por unanimidade a proposta apresentada pela Federação Interestadual das Instituições de Crédito de Financiamento e Investimento (Fenacrefi) ao Comando de Negociação dos Financiários da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Conforme cláusulas legitimadas nas assembleias, o reajuste será de 3%nos salários e todas as cláusulas de natureza econômica, inclusive na Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

As assembleias foram conduzidas pela secretária do Ramo Financeiro do Sindicato, Diana Ribeiro e pelos dirigentes sindicais, Ronaldo Cordeiro e Veruska Ramos.

O reajuste corresponde à reposição da inflação (INPC entre 1º de junho de 2017 e 31 de maio de 2018) mais 1,22% de aumento real. As demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) foram mantidas e têm validade de dois anos, entre 2018 e 2020. Para 2019, está garantida a reposição da inflação com o 1% de aumento real.

“Em ganho real, os financiários conquistaram um percentual maior que o dos bancários (1,18%). Mas, como a data-base dos financiários é 1º de maio e a dos bancários é 1º de setembro, o impacto da greve dos caminhoneiros na inflação refletiu em uma diferença no índice de reajuste das categorias”, esclarece a secretária do Ramo Financeiro, Diana Ribeiro. 

Outra conquista dos trabalhadores foi a possibilidade de parcelar em até três vezes o adiantamento de férias, que atualmente é descontado integralmente no mês posterior ao descanso.

Os financiários aprovaram a CCT com inclusão da Contribuição Negocial, com desconto de 1,5% do salário corrigido e da PLR, com teto. 

“Após a aprovação da reforma trabalhista, casos julgados em outros estados retiraram direitos de trabalhadores por entender que se não havia contribuição financeira destinada à entidade que representava a categoria na negociação, o trabalhador não poderia estar acobertado pelos direitos da CCT. Então, essa contribuição vai gerar uma proteção jurídica importante para todos os financiários, sendo absolutamente necessária para manter a luta da Contraf-CUT e das entidades filiadas em defesa das trabalhadoras e dos trabalhadores”, alerta.

Um dos maiores impasses da negociação referiu-se à criação de nova cláusula para regulamentar o trabalho nos fins de semana dos trabalhadores que fazem concessão de créditos e financiamentos em lojas e concessionárias. Embora não se tenha chegado a um acordo na mesa, uma Comissão de Enquadramento e Trabalho aos Sábados, Domingos e Feriados foi criada e começará se reunir a partir de março de 2019.




Compartilhe no
Notícias relacionadas...

Outras notícias...

Expediente:
Presidenta: Suzineide Rodrigues • Secretário de Comunicação: Epaminondas Neto • Conselho Editorial: Suzineide Rodrigues, Epaminondas Neto e Adeílton Filho • Jornalista Responsável: Micheline Américo  Redação: Beatriz Albuquerque e Brunno Porto • Coordenação, Supervisão e Produção de audiovisual: Tempus Comunicação •  Programação Visual: Bruno Lombardi