28/06/2018

Fenaban frustra debate na primeira rodada de negociação da Campanha 2018



A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) frustrou os debates com o Comando Nacional dos Bancários na primeira rodada de negociação da Campanha 2018, realizada nesta quinta-feira (28) em São Paulo (SP). O pré-acordo foi apresentado à Fenaban no dia da entrega da pauta, em 13 de junho.


Com a representantes de vários Estados brasileiros, a presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues, integrou a mesa montada para analisar o resultado da reunião entre o Comando Nacional e a Fenaban.


“Nossa expectativa mínima era de fechar um pré-acordo, garantindo a ultratividade que sempre foi assegurada nas campanhas anteriores. Contudo,
a Fenaban nem sequer sinalizou que isso será possível na próxima rodada de negociação. Essa posição flerta com a lei da reforma trabalhista que atinge em cheio os nossos direitos. Por isso, os bancários de todo o Brasil devem se manter mobilizados nas trincheiras de luta para pressionar os banqueiros. Somos uma categoria fundamental e vamos radicalizar no enfrentamento se necessário for”, afirma.




A vigente Convenção Coletiva de Trabalho (CTT) e os direitos nela previstos têm validade somente até 31 de agosto, já que a data-base da categoria é 1º de setembro. Sendo assim, a ultratividade é uma prioridade para a categoria, principalmente diante da vigência da legislação trabalhista do pós-golpe que autoriza a retirada de direitos. A Lei nº 13.467, de novembro de 2017, foi gestada e aprovada pelos empresários, dentre eles, os bancos.


“Esta primeira rodada de negociação só confirmou a importância da mobilização dos bancários na defesa da CCT e da mesa única de negociação. Queremos negociação com seriedade. Nossa CCT está em risco, assim como todos os direitos da categoria, inclusive nossa PLR e a mesa unificada nacional entre bancos públicos e privados”, alerta a coordenadora do Comando e presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira.


De janeiro a maio de 2017, foram 13.665 acordos e 1.985 convenções. Este ano, com a mudança na lei, no mesmo período foram 3.782 (menos 72%) acordos e 327 convenções no país (menos 84%), segundo dados do Boletim Salariômetro da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).


O Comando apresentou uma proposta de calendário com datas para as próximas rodadas de negociação, mas os bancos marcaram somente para 12 de julho pela manhã, diante de dificuldades colocadas pela agenda dos negociadores.



Mobilização Nacional


Os bancários devem estar preparados para a luta que será mais intensa e fundamental na Campanha 2018.


Na quinta-feira (5), será realizado Dia Nacional de Luta em Defesa dos Bancos Públicos, e em 11 de julho, entra em pauta o Dia Nacional de Luta em Defesa da CCT e dos direitos da categoria. Os bancários devem usar #TodosPelosDireitos e #AssinaFenaban para ajudar a pressionar os bancos também pelas redes sociais.

Compartilhe no
Notícias relacionadas...

Outras notícias...

Expediente:
Presidenta: Suzineide Rodrigues • Secretário de Comunicação: Epaminondas Neto • Conselho Editorial: Suzineide Rodrigues, Epaminondas Neto e Adeílton Filho • Jornalista Responsável: Micheline Américo  Redação: Beatriz Albuquerque e Brunno Porto • Coordenação, Supervisão e Produção de audiovisual: Tempus Comunicação •  Programação Visual: Bruno Lombardi